OT Review: Com ‘Expectations’, Bebe Rexha explora as frustrações causadas pela ansiedade

Depois de muita incerteza, de criar muitas expectativas sobre a carreira e em cima de seus fãs, Bebe Rexha lança nesta sexta-feira, 22 de junho, o seu álbum de estreia, ‘Expectations’. As 13 faixas do disco versam sobre os problemas causados pelo transtorno de ansiedade, ligado à vida social e às frustrações que relacionamentos que nunca dão certo podem causar.

Com ‘Expectations’, Rexha demonstra uma segurança que costurou vendendo grandes hits para artistas consagrados na música. No currículo, a cantora entregou hits para Eminem e Rihanna, David Guetta e foi a grande responsável por estourar G-Eazy nas tabelas mundiais, além de possuir composições gravadas por Selena Gomez, Iggy Azalea, Nick Jonas e Tinashe.

O trabalho, como um todo, é sólido, sentimental, soando sexy e romântico, por vezes, e uma boa amostra do que a cantora vem oferecendo em sua jornada para se tornar uma estrela pop. Jornada que finalmente vingou com a explosão do crossover pop e country, ‘Meant to Be’, canção que está há mais de sete meses no topo da tabela country norte-americana, feito que nem Taylor Swift conquistou.

‘Ferrari’, lançada como prévia do trabalho em abril, é uma faixa que resume bem a mensagem que a cantora quer passar com o disco. Viver com ansiedade é sentir-se sozinho mesmo tendo uma vida agitada e rodeada de gente. ‘Viver na pista de corrida está me deixando solitária’, entoa.


O segundo single de trabalho, ‘I’m a Mess’ é uma ode às imperfeições que tentamos esconder pela pressão social. Com créditos na composição à Meredith Brooks pela similaridade ao refrão de ‘Bitch’, sucesso dos anos 90, Bebe parece tentar colocar em prática as suas sessões na terapia: após expor os seus pontos fracos, a mensagem é clara e positiva: ‘vai ser uma boa vida… é o que diz a minha terapeuta’. A bridge, com uma sobreposição de vozes no fundo, é um dos pontos mais altos do disco, ainda que a música como um todo soe um pouco genérica.

A faixa mais sexy do disco, relembrando as duas partes do seu EP ‘All Your Fault’, ‘2 Souls On Fire‘ também faz uma alusão aos ‘uh huh‘ infectantes de ‘The Monster’, do Eminem com Rihanna, faixa que Bebe compôs em 2015. Aqui, o ponto alto é a brincadeira vocal que a cantora de origem albanesa faz no refrão com a palavra ‘desire‘ (desejo), que por vezes soa como se ela estivesse entoando ‘these‘ (estas).

A faixa mais interessante do trabalho, ‘Shining Star’, chega com uma introdução retirada das sessões de gravação da música. Nela, ficam óbvias as inspirações de Rexha em Avril Lavigne e No Doubt. Com um solo de guitarra que deixa a faixa com uma pegada sensual, ela ainda é um bom exemplo da versatilidade que o timbre único da cantora possui, além do storytelling que a composição possui fazendo o ouvinte rapidamente imaginar o que escuta.

Como primeira amostra de sua vulnerabilidade no disco, ‘Knees’ é mais uma das faixas que chamam a atenção logo na primeira audição, por diminuir o ritmo do trabalho. Quem nunca se viu na situação de estar envolvido com alguém que não decide os sentimentos e aprisiona os dos outros? ‘Se eu não sou o que você precisa, então me deixe ir. Estou ajoelhada. Estou implorando’. É sobre olhar a situação amorosa com clareza e se permitir buscar o que você precisa, é não murchar o seu universo pra caber no de outra pessoa. A gente te entende, Bebe!

‘Self Control’ é a faixa mais radiofônica do trabalho e, aproveitando o verão que se aproxima nos Estados Unidos, bebe da fonte tropical que matou a sede de vários hits dos últimos dois anos. Apesar de soar um pouco genérica, pode funcionar bem em rádios pop.

Em ‘Sad’, a prosa da cantora parece cair como um luva na vida de quem sofre os transtornos de ansiedade e sobre como a tristeza pode ser algo confortável, virando uma verdadeira areia movediça. ‘Eu preciso sair de dentro da minha própria cabeça’, analisa Bebe.

O ritmo continua lento com ‘Don’t Get Any Closer’, em que Bebe Rexha canta sobre o medo de se abrir para alguém e não receber o mesmo em troca, sobre como a ansiedade é frustrante ao imaginarmos cenários irreais em nossas cabeças que nos impedem de viver o mundo. ‘Tenho medo de que você encontre todas as coisas que escondo’.

Fechando o trabalho, o hit ‘Meant to Be’ parece cumprir a missão de deixar uma mensagem positiva após o processo de expor a vulnerabilidade e o lado mais sensível de Bebe e se encaixa bem na premissa de ‘Expectations’. O dueto com o Florida Georgia Line é um dos fortes concorrentes nas chaves country do Grammy do ano que vem.

A estreia de Bebe Rexha no formato LP chega ao mercado norte-americano já com certificado de ouro por exceder as 500 mil cópias vendidas, com equivalência em streaming. No Brasil, um dos dez maiores mercados de audiência da cantora em todas as plataformas, será lançado no formato físico e digital pela Warner Music.