Com o público na mão, Fifth Harmony mostra que veio pra ficar após show em São Paulo

fifth harmony brasil

Ontem a noite (12) a gente esteve no Z Festival e há algumas coisas que gostaríamos de compartilhar com vocês.

starEm primeiro lugar, ponto para Livepass que conseguiu montar um lineup que atendeu muito bem ao público alvo de uma forma mais ampla. Uma coisa que percebemos em festivais de meio porte é que dificilmente as atrações de abertura conseguem animar o público, mas ontem todo mundo parecia empolgado com os demais convidados.

starDiferente do que se via por comentários no Facebook e Twitter, MC Gui foi muito bem recebido. Aliás, o moço é bastante carismático – e assim como Anitta, a fase funk parece ter ficado pra trás. As boybands Fly e Midnight Red também cumpriram o seu papel com um ou outro hit que estava na ponta da língua dos ouvintes da radio Disney.

starComo muitos imaginavam, Fifth Harmony era a grande atração da noite e isso ficou claro em vários momentos, desde a fila até os gritos em coro que se ouvia no intervalo de cada apresentação.

starFormada na segunda temporada do X Factor americano, a banda é de uma simpatia enorme. Esforçadas, todas pareciam ter estudado bem o português para uma comunicação direta com os fãs.

starAs melhores músicas do show são ‘Bo$$’ e ‘Me & My Girls’.

starFalando nos fãs do grupo, esses foram uma atração a parte. Com pequenos problemas técnicos de som, mesmo quando ficava um pouco difícil de ouvi-las, o público fazia o favor de acompanha-las, vez ou outra cantando mais alto que as próprias. O fato do Espaço das Américas ser uma casa fechada talvez tenha ajudado, mas a impressão que ficou foi a de que todo mundo ali era fã assíduo. Até mesmo músicas que ainda não foram lançadas o pessoal já sabia de trás pra frente.

starCamila Cabello é provavelmente a favorita deles, o que é justificável. Das cinco integrantes, ela é a mais brincalhona e menininha, enquanto as outras já possuem pose de mulherão. Tendo em vista que a maioria do público ali era de garotas entre 14-17 anos, é fácil entender com quem elas se identificam melhor. Camila chama suas fãs de ‘gostosas’ (e elas adoram!).

starNunca havia pensando no Fifth Harmony de forma separada, mas a Dinah agora é a minha favorita. Ela é destruidora mesmo.

starOutra coisa que muda a respeito do grupo após vê-las ao vivo é que antes elas pareciam apenas bonitinhas e corretas, mas que nada, elas são muito fierces. Conseguem ser sexy de forma natural, sem coreografias que choquem ou roupas curtíssimas – porém nada contra quem usa, pelo contrário.

starOs boatos sobre a “Evacuação Tour” após o show das garotas são verdadeiros. A pista premium, onde em um chute havia mais ou menos 1,500 pessoas, diminuiu pra menos da metade minutos antes de Austin Mahone entrar.

starAssim como um amigo comentou, talvez tenha sido um erro a produção achar que Austin era o headline do evento. Não só por questão de segurar o público até o fim, mas por utilização do palco também. Enquanto os outros tinham basicamente o direito de se apresentar, toda a estrutura montada (escadas, plataforma e etc) ficou guardada apenas para ele. No fim, pouca gente acabou vendo.

starPor último, não deixou de ser perceptível o quanto o X-Factor consegue ser superior aos outros programas de talento atualmente. Do ano passado pra cá três artistas revelados pela franquia de Simon Cowell fizeram turnê por aqui (One Direction, Cher Lloyd e Fifth Harmony), enquanto os do The Voice mal conseguem lançar um álbum em seus países de origem, seja no UK ou USA. Esperamos que Ella Henderson, Little Mix e Olly Murs sejam os próximos.